-

Cássio diz que governo deve focar em superar crise econômica

                                           unnamed


“É uma vitória do povo brasileiro, que nas ruas fez o impeachment”, assim resumiu o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) tão logo o Senado Federal confirmou o afastamento definitivo de Dilma Rousseff da Presidência da República, por ampla maioria de votos. Votaram pelo impeachment 61 senadores, contra apenas 20 que votaram pela permanência da petista.
Para Cássio, está iniciada uma nova fase, na qual o Brasil tem chances de superar a crise econômica que devasta a vida dos brasileiros. Três horas após o afastamento de Dilma, o peemedebista Michel Temer tomou posse no cargo de novo presidente da República.
O apoio firmado entre o PSDB e o governo de Michel Temer é condicionado ao compromisso de garantir aos brasileiros uma volta aos tempos de estabilidade econômica e política, garantida pelo Plano Real. O PSDB apresentou, no início da gestão provisória do peemedebista, um mini-programa de governo com ações objetivas que os tucanos consideram fundamentais para o alinhamento entre os partidos.
Inabilitação
Apesar do impeachment, Dilma não foi punida pelo Senado com a inabilitação para funções públicas. Com isso, ela poderá se candidatar para cargos eletivos e também exercer outras funções na administração pública. O líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB) criticou a decisão da Casa. Para ele, o ato foi um atentado à Constituição.
“A presidente Dilma está afastada do cargo, mas habilitada não apenas para disputar a eleição de 2018 – vai começar a fazer campanha a partir de amanhã. Ou seja, o princípio Constitucional da preservação do setor público, da ação preventiva, foi rasgado por um terço dos senadores. O Senado, na votação de um destaque, mudou a Constituição Federal. É algo inaceitável.”
MaisPB

Compartilhe :

veja também

Publicidade Publicidade Cacimba de Dentro-PB Secretaria de Educação Facebook

últimas notícias