-

Ex-beneficiários relatam dificuldades após cortes no Bolsa Família na Paraíba

Pessoas que tiveram seus benefícios bloqueados ou cancelados devem procurar os órgãos municipais que operacionalizam o programa para se certificar de qual teria sido a razão que fundamentou o corte








                                   Bolsa Família


Diversos ex-beneficiários do Programa Bolsa Família estão participando da consulta pública ‘Impactos dos Cortes de Beneficiários do Programa Bolsa Família no Estado da Paraíba’, promovida pelo Ministério Público Federal na Paraíba (MPF-PB). Em boa parte dos relatos, os ex-beneficiários falam que foram cortados e que vivem com dificuldades financeiras.


“Vinham outras pessoas [para a consulta pública] mas, infelizmente, não vieram porque não tinham [condições de pagar] passagem. Mas eu vim pedir socorro. Eu acho que nenhum de nós está aqui para enganar ninguém. Se a gente ficar calado ninguém resolve nada”, afirmou uma das ex-beneficiárias ouvidas na ação.


A consulta, presidida pelo procurador regional dos direitos do cidadão, José Godoy Bezerra de Sousa, membro do Ministério Público Federal (MPF) na Paraíba, foi realizada em conjunto com a Defensoria Pública da União, Comissão de Direitos Humanos da OAB/PB e Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional da Paraíba (Consea). 

“A partir do que ouvimos, deu para perceber que o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário fez os cortes ou bloqueou cartões bem antes das prefeituras concluírem o levantamento; existe a possibilidade de manipulação política na elaboração do cadastro; outros programas já foram atingidos com cortes e isso terá um impacto forte na segurança alimentar e nutricional e no direito humano à alimentação adequada no estado”, afirmou o presidente do Consea, Arimatéia França.

Segundo orientação da defensora regional dos direitos humanos na Paraíba, Diana Andrade, as pessoas que tiveram seus benefícios bloqueados ou cancelados devem procurar os órgãos municipais que operacionalizam o programa para se certificar de qual teria sido a razão que fundamentou o corte. 

A consulta pública continua através da internet, onde o interessado deve acessar a página do MPF-PB, clicando aqui, onde irá clicar em um banner para inscrição da consulta. Após isso, o interessado preenche um formulário online e deve relatar se o benefício foi cancelado ou suspenso ou se teve dificuldade em cadastrar ou recadastrar o benefício.


PORTAL CORREIO

Compartilhe :

veja também

Publicidade Publicidade Cacimba de Dentro-PB Secretaria de Educação Facebook

últimas notícias