-

São Paulo vence Botafogo e vira líder pela primeira vez em três anos

São Paulo vence Botafogo e vira líder pela primeira vez em três anos
Embalado por onze jogos de invencibilidade, o São Paulo vai cheio de moral para o clássico diante do Palmeiras, no próximo sábado (2). Nesta quarta (30), o time de Diego Aguirre mais uma vez teve uma atuação consistente e, com gols de Nenê, Diego Souza e Everton, venceu o Botafogo por 3 a 2 de virada pela 8ª rodada do Brasileirão. É a primeira vez desde a sétima rodada da edição de 2015 que o São Paulo assume a liderança do torneio.
O trio decisivo diante dos cariocas mostra que está cada dia mais entrosado. Abusou dos toques curtos e rápidos, mostrou posicionamento correto e oportunismo. O placar foi construído no primeiro tempo de jogo no Morumbi. O de Nenê veio de pênalti sofrido por Everton. O de Everton saiu após contra-ataque de Diego Souza. E Diego Souza, de peito, como um centroavante, fez seu oitavo gol com a camisa tricolor, o quinto nos últimos cinco jogos.
Já de olho na partida diante dos palmeirenses, Aguirre montou um São Paulo com cinco novidades em relação à vitória sobre o América-MG, domingo passado. Edimar, Petros, Anderson Martins, Marcos Guilherme e Régis começaram jogando. O treinador mostrou que seu "rodízio" no time, sem dar garantia de titularidade a ninguém, vem dando resultado. "Pilhado" em campo, o São Paulo manteve uma postura ofensiva durante toda a partida, com falhas pontuais em seu sistema defensivo.
O JOGO
Logo no primeiro minuto de jogo, um choque com Anderson Martins deixou o botafoguense João Pedro desacordado por alguns instantes no gramado do Morumbi. O atleta precisou deixar o campo de ambulância e passa por exames por ter batido a cabeça no chão. Apesar do susto, seu estado de saúde é estável.
A partida recomeçou agitada. Matheus Fernandes tentou de fora da área o goleiro Sidão, mas faltou pontaria e a bola saiu pela direita. Em resposta no minuto seguinte, Nenê tabelou com Edimar pela esquerda e carimbou a trave de Jefferson.
Com espaço pelas laterais, o Botafogo avançou e Lindoso passou para Léo Valência, que arriscou de fora da área e surpreendeu Sidão, aos 15 minutos. Um golaço para silenciar o Morumbi. Mas a resposta veio rapidamente. Everton foi derrubado na área por Igor Rabello. O árbitro marcou pênalti e, aos 19, Nenê deixou tudo igual.

Grêmio - A volta de Luan não foi suficiente. O Grêmio empatou sem gols com o Fluminense, nesta quarta-feira (30), em jogo da oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Mais uma vez o time gaúcho teve posse de bola muito maior, mas não marcou.
As chances de gol até apareceram, mas faltou pontaria quando o ferrolho do clube carioca foi vencido. E assim, a equipe dirigida por Renato Gaúcho chegou ao quarto 0 x 0 no Brasileiro.
Luan, escalado depois de dores musculares e ausência diante do Ceará, deu mais dinâmica. Everton injetou velocidade. Mas faltou o gol. Na etapa final, o acerto no alvo passou longe.
O resultado faz o Fluminense seguir à frente do Grêmio na tabela de classificação. O time carioca soma 14 pontos e perdeu uma posição, ficando em terceiro lugar.
O Grêmio, que não perde há cinco rodadas, chegou a 13 pontos, ocupando a oitava colocação. A liderança pertence ao São Paulo, com 16.
Na próxima rodada, o Fluminense joga fora de casa contra o Paraná, na segunda-feira (4). O Grêmio tentará recuperar os pontos perdidos em duelo contra o Bahia, na Fonte Nova, no domingo (3).
Para o Grêmio, o resultado desta quarta deixa um sabor mais amargo. Foi o quarto empate sem gols do time no Brasileiro e o terceiro como mandante. Antes do Fluminense, Atlético-PR e Inter também não tomaram gols na Arena. E o Paraná, em Curitiba, fecha a lista das igualdades sem gol.
O melhor jogador do time gaúcho foi Maicon. O volante distribuiu bons passes, grandes lançamentos e tentou botar o Grêmio mais perto do gol. Em um jogo onde o ataque pecou, Maicon fez sua parte para tentar quebrar o empate de placar fechado.
A decepção foi Luan. Artilheiro do Grêmio no ano, ao lado de Everton, meia-atacante levou muito pouco risco direto ao gol do Fluminense. Viu de longe as melhores chances do time tanto de fora como de dentro da área.
O Grêmio teve atitude para encarar o paredão do Fluminense, mas não conseguiu escapar de um cenário que é sina ao longo da temporada. Nem os lançamentos de Maicon e os chutes de longe ajudaram o time da casa a abrir o placar antes do intervalo. Ainda assim, a equipe de Renato acumulou 12 conclusões na primeira etapa. Um repertório que fez até Maicon aparecer na linha de fundo e Bruno Cortez arriscar algo raro com arremate direto.
O Fluminense não quis dar brecha e entrou em campo formando o tempo todo uma linha de cinco jogadores na defesa. Os três zagueiros reforçados por uma postura bem defensiva dos laterais Gilberto e Marlon. A ideia, claramente, era fechar espaços e sair apenas com os meias em alta velocidade. A defesa fortalecida impactou muito no desempenho do time.
Na etapa final o jogo ficou mais aberto, e as chances de gol apareceram em maior número para ambos os lados. O Fluminense teve duas boas oportunidades, mas falhou. O Grêmio viu Everton errar pelo menos três vezes, mas também não se deu bem com Luan e André. Nem os seis minutos de acréscimo serviram para mudar o placar.
Terra com Diário de goias

Compartilhe :

veja também

Publicidade Publicidade Cacimba de Dentro-PB Secretaria de Educação Facebook

últimas notícias